ÁREA DE PROTEÇÃO AMBIENTAL DO RIO DE JANEIRO TEM NOVA DIRETORIA

Uma eleição realizada na última quarta-feira (26), em Barreiras, definiu o Conselho Gestor da APA do Rio de Janeiro. Os novos membros vão administrar todas as ações desenvolvidas dentro da área do território, principalmente em relação à preservação, de acordo com a legislação ambiental vigente. O conselho eleito envolve representantes do poder público, da sociedade civil e empreendedores, sob a supervisão do Instituto de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (INEMA). O município de Luís Eduardo Magalhães está representado pelas Secretarias de Agricultura e Meio Ambiente.

Entre os desafios da nova gestão, está o uso sustentável e racional dos recursos da APA do Rio de Janeiro, como agricultura, pecuária e turismo.

”Podem ter certeza que faremos um intenso trabalho de preservação ambiental”, disse Franco Bosa, Secretário de Agricultura de Luís Eduardo Magalhães.

A APA do Rio de Janeiro

A Área de Proteção Ambiental do Rio de Janeiro, que totaliza 341 mil hectares é importante para o contexto do agronegócio. Criada em 1993, garante a qualidade ambiental do ecossistema cerrado e protege a Bacia do Rio de Janeiro, onde estão localizadas as Cachoeiras do Redondo e Acaba Vida.