MINISTÉRIO PÚBLICO E PREFEITURA DE LUÍS EDUARDO MAGALHÃES LANÇAM PROJETO PARA RESSOCIALIZAÇÃO DE MENORES INFRATORES

Uma iniciativa do Ministério Público do Estado da Bahia em parceria com o Poder Executivo Municipal, Secretaria Municipal de Trabalho e Assistência Social e o Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS) possibilitará aos adolescentes infratores do município, uma alternativa real e assistida de ajuda para se afastarem do consumo de drogas e da criminalidade. A menção diz respeito ao Projeto Resgate, que foi lançado hoje (8), no Auditório do SENAR, no Sindicato dos Produtores Rurais.

Compuseram a mesa diretiva da cerimônia de apresentação: o Promotor de Justiça, Márcio do Carmo; o Vice-Prefeito, Vanir Kolln; a Secretária de Governo, Katerine Rios; a Secretária de Trabalho e Assistência Social, Rose Sanderson; o Secretário de Segurança, Ordem Pública e Trânsito, Daniel Álvares; a advogada e coordenadora da Secretaria de Segurança, Ordem Publica e Trânsito, Dayse Pizzato; a psicóloga do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS), Alexandra Bender e a representante da Vara da Infância e da Juventude da Comarca de Luís Eduardo Magalhães, Mariana Flores de Matos.

Durante o evento, o Promotor de Justiça abordou a importância da parceria com a Prefeitura Municipal. De acordo com Márcio do Carmo, a criminalidade e o consumo de drogas entre os menores são problemas crescentes e que poderiam ser minimizados, caso as famílias fossem mais presentes no cotidiano das crianças e dos adolescentes. “Os motivos para que eles cometam delitos são os mais variados. A responsabilidade familiar poderia reduzir as estatísticas de forma significativa, mas infelizmente, não é isso o que vemos hoje. A nossa pretensão é beneficiar o maior número possível de menores envolvidos nessa situação, porém se conseguirmos mudar a realidade de pelo uma dessas pessoas, já seremos vitoriosos, exclamou.

O Vice-Prefeito de Luís Eduardo Magalhães também comemorou a conjunção de forças para o enfrentamento do óbice. “Para nós, é motivo de muita alegria acolher essa iniciativa. Eu entendo que as mudanças só virão a partir de atitudes como a que estamos vendo aqui, com a participação de diversos segmentos da nossa sociedade”, comentou Vanir Kolln.

Katerine Rios citou exemplos de famílias que conviveram com o impasse, destacando a relevância do apoio da sociedade e de novas oportunidades para a reversão do quadro. “Se esses adolescentes vivem em um contexto familiar sem orientações corretas, impossibilitando-os diferenciar o certo do errado, dificilmente superarão as dificuldades. É justamente isso o que estamos propondo hoje: alternativas para que todos conheçam o caminho certo a seguir”, finalizou.

Confira mais imagens na galeria de fotos.

Clique aqui