SAÚDE PÚBLICA: MUTIRÃO DE CIRURGIAS EM LUÍS EDUARDO MAGALHÃES PRETENDE ZERAR FILA DE ESPERA DO SUS

 

Quase um milhão de brasileiros precisam fazer uma cirurgia pelo SUS, mas não conseguem. A pesquisa é do Conselho Federal de Medicina, divulgada na última segunda-feira (4). Desse número, aproximadamente 750 pessoas estão esperando por um procedimento cirúrgico há mais de 10 anos. Enquanto os dados ratificam o problema recorrente na saúde pública brasileira, o município de Luís Eduardo Magalhães segue reestruturando a rede municipal de saúde a fim de garantir um atendimento digno e humanizado à população, e uma das metas para o alcance do objetivo, é o Mutirão de Cirurgias.

Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, a ação já contemplou mais de 150 pacientes, os quais receberam gratuitamente equipe médica e toda a estrutura necessária para o procedimento, além do acompanhamento após a intervenção. Já foram realizadas 54 cirurgias otorrinolaringológicas (ouvido, nariz e garganta), 51 de retirada de nódulos, 27 vasectomias e operações de hérnias, laqueaduras, hemorroidas e retirada parcial da mama. Quem precisava se submeter à cirurgia de catarata também recebeu atendimento. A Prefeitura já encaminhou mais de 50 pacientes para o mutirão na cidade de Barra e custeou todas as despesas com hospedagem e transporte. A novidade agora, é que além de contar com os mutirões fomentados pelo Estado, aqueles que necessitarem do procedimento, poderão realizá-lo também em Luís Eduardo Magalhães. Prova disso é que o município fará 30 cirurgias de catarata no próximo domingo (10). Ademais, o Sistema Vida, desenvolvido em parceria com o Governo Estadual, viabilizou 86 procedimentos de cintilografias, cateterismo e litotripsia.

“Quando começamos a gestão, constatamos o grande número de pessoas que aguardavam há muito tempo por um procedimento cirúrgico. O Mutirão de Cirurgias foi sonhado e planejado em cada detalhe e seguimos o critério de maior tempo de espera, com prioridade para alguns casos mais graves. Nossa intenção é zerar a fila, um problema comum na maioria das cidades brasileiras”, comentou o prefeito Oziel Oliveira.

Dona Márcia fez a cirurgia que necessitava e agora pretende se recuperar o mais rápido possível para retornar ao trabalho. Ela está feliz e tem certeza que a partir de agora, terá muito mais qualidade de vida. “As dores que tanto me incomodavam não serão mais problema. O trabalho feito pelos médicos foi maravilhoso”, comemorou. “Se fosse em outra época, eu teria que esperar muito tempo ou até mesmo me deslocar para outra cidade”, desabafou a dona de casa.

O balanço da Secretaria Municipal de Saúde demonstra ainda o esforço e investimento que vem sendo feito na área desde o início do ano. Até o momento, 939 pacientes foram atendidos pelo Programa de Tratamento Fora de Domicílio (TFD), acolhidos pela casa de apoio em Salvador; fornecidas 1.449 passagens para tratamento médico em outras cidades; realizados 5.141 atendimentos obstétricos emergenciais, 1.470 partos, cerca de 1.500 cirurgias (fora o mutirão); 87 crianças em estado grave foram atendidas na Unidade de Cuidados Intensivos Neonatais (UCIN), mantida apenas com recursos do município.

Os procedimentos cirúrgicos – provenientes do mutirão –, estão sendo realizados no Hospital e Maternidade Dr. Gileno de Sá Oliveira e continuarão até o fim do mês de dezembro.

Confira mais imagens na galeria de fotos.

Clique aqui