TEMPO FIRME, MÃOS À OBRA: COM A TRÉGUA DAS CHUVAS, LUÍS EDUARDO SE TRANSFORMA EM UM CANTEIRO DE OBRAS

A mesma chuva que fez a alegria dos produtores rurais em Luís Eduardo Magalhães, causou diversos prejuízos à infraestrutura do município, tanto na zona urbana, quanto na rural.

Durante o período chuvoso, apenas obras de contenção e pequenos reparos puderam ser feitos pela prefeitura, que agora, com o tempo firme, iniciou uma força-tarefa para recuperação de ruas e avenidas prejudicadas pelas chuvas das últimas semanas.

Operação tapa-buracos, limpeza, roçamento, pavimentação, patrolamento, saneamento. Por todos os cantos da cidade o que se vê são homens e máquinas em ação. O trabalho vai da rotatória da Câmara de Vereadores, passando pela Rua Mato Grosso, pelo Santa Cruz, pelo Jardim Primavera, e, de acordo com a Secretaria de Infraestrutura, todos os bairros da cidade receberão a equipe de manutenção e reparos.

“O tempo firme permite a realização dos trabalhos, sem desperdício de material. A quantidade de chuva que recebemos foi bem acima da média e prejudicou muitos pontos do município que já estão sendo recuperados”, explicou Oziel Oliveira.

As ações não se restringem ao perímetro urbano. A BA-460, principal estrada de acesso à comunidade Bela Vista, está sendo patrolada. “A zona rural também precisa de cuidados especiais. Nossas equipes agirão em várias frentes de trabalho para melhorar os acessos, assegurando o direito de ir e vir com dignidade para a nossa gente, que depende da facilidade de locomoção para diversas atividades, dentre elas, vender seus produtos, na cidade.” Disse o prefeito.

Apesar da quantidade de chuvas este ano ter sido bem maior que no mesmo período do ano passado, a cidade resistiu. Em fevereiro de 2017, centenas de famílias ficaram desabrigadas ou desalojadas, por conta das cheias dos canais que cortam a cidade. Algumas destas famílias ainda recebem o aluguel social.  Este ano não houve registro de vítimas. As obras de saneamento dos canais, iniciadas pela prefeitura com recursos próprios, garantiram que as águas seguissem seu curso natural e os transtornos foram evitados.

“Em 2017 sofremos muito com as enchentes causadas pelo descaso do poder público e o desrespeito à natureza. Este ano não poderíamos permitir que a tragédia se repetisse. Claro que ainda não está do jeito que queremos. Para tudo ficar perfeito é preciso fazer a macrodrenagem dos canais, desapropriação de algumas construções irregulares e uma série de ações que o município sozinho não consegue fazer. Mas já estamos trabalhando nisso, buscando apoio nos governos Estadual e Federal. Enquanto isso, empregamos recursos próprios do município, fomos buscar uma tecnologia que permitisse uma solução duradoura (as aduelas), reunimos os esforços da equipe de governo e dos servidores e iniciamos os trabalhos de construção e reconstrução dos canais. O que já fizemos evitou o desastre. Agora, passada a chuva, vamos continuar as obras. Tá ficando bom e vai ficar melhor!” Encerrou Oziel.

Confira mais imagens na galeria de fotos.

Clique aqui